testeira historia.gif

As experiências no cárcere os fizeram enxergar as reais intenções do sistema famigerado, criaram o antídoto através do resgate da autoestima, encontraram no Hip Hop a ferramenta para ampliar seus horizontes através de suas músicas. De dentro da detenção iniciaram suas jornadas, em 1999 a dupla era conhecida como “Linha de Frente” e até chegaram a fazer uma música de participação no CD do ex-traficante José Carlos dos Reis Encina, vulgo Escadinha. Como ninguém se recupera sozinho, contaram com o apoio da "Madrinha dos Presos", a atriz Sophia Bisilliat, idealizadora do projeto “Talentos Aprisionados”. Vários músicos de peso do cenário nacional como Mano Brown e Edi Rock (Racionais MC's), DJ Hum (parceiro de Thaíde), Zé Gonzales (Planet Hemp) e MV Bill deram todo o suporte para que a mensagem chegasse aos ouvidos de toda uma sociedade carente e desinformada sobre o sistema carcerário no Brasil. No ano de 1999 nasce o 509-E tornando-se porta-voz de todos aqueles que sofriam com a vida desumana dentro de um sistema prisional falido. No ano seguinte em 2000 lançam seu primeiro CD, chamado Provérbios 13, com 12 faixas e que até hoje é considerado um clássico, denunciando todas as injustiças sociais sofridas pela classe periférica. O número 509-E representa a cela onde residiam no pavilhão 7.

O grupo em pouco tempo, conquistou a confiança da população, rádios, revistas, emissoras de TVs, tabloides, autoridades e emplacou como um dos ícones do Hip Hop nacional, atingindo toda mídia de comunicação com a mensagem motivadora, relevante para o bem comum da sociedade, mostrando que o ser humano é capaz de regenerar-se e ressocializar-se na sociedade novamente. Entre 2000 e 2003 gravaram clipes, tiveram matérias em revistas, participaram de festivais e ganharam diversos prêmios importantes, o que aumentaria mais ainda a notoriedade do grupo. Porém, um detalhe importante: ambos os músicos continuavam presos. Foram cerca de 150 saídas da detenção para realizarem seus shows mesmo estando privados de suas liberdades, arrastando uma multidão por onde passavam. O grito de justiça ecoava Brasil afora.

 

O grupo estava no seu auge, tanta notoriedade, popularidade e elogiado pela crítica, tanto no contexto musical, social e cultural, levando uma mensagem de extrema importância; obviamente em algum momento iriam incomodar "alguém". Convocados por um debate na Rede Globo, a dupla ficou visada pelas autoridades por falarem e exporem a verdadeira realidade. Tornaram-se inimigos do sistema principalmente após a Mega Rebelião que resultou na extinção do Carandiru. Após esse episódio, o grupo foi proibido de fazer shows na rua. 

 

Afro-X conquistou sua liberdade e o 509-E lançou seu segundo trabalho, MMII DC (2002 Depois de Cristo)que foi muito aclamado pela crítica por ser um álbum vanguardista e pela qualidade do avanço musical que o grupo idealizou. No ano seguinte em 2003, por senso comum dos dois integrantes, resolvem encerrar as atividades do 509-E temporariamente seguindo suas carreiras solo.

 

DISCOGRAFIA 509-E

  • Provérbios 13 – 2000 – Atração Fonográfica (vendeu 90.000 cópias)

  • MMIID.C – 2002 – Atração Fonográfica (vendeu 70.000 cópias)

  • A Liberdade Cantou - Single - 2021

 

PREMIAÇÕES 509-E

  • Prêmio HUTUZ de Grupo Revelação do Ano (2000 - Rio de Janeiro);

  • Prêmio da TV Gazeta de melhor Vídeo Clipe com a música “Só Os Fortes” (2000 - Rio de Janeiro);

  • Indicação ao VMB MtV Brasil (2000 - São Paulo)

  • Música mais tocada do ano 2000: “Saudades Mil”, na rádio 105FM;

  • Prêmio HUTUZ de melhor Álbum da década com o grupo 509-E (2009 - Rio de Janeiro).

  • Prêmio do Público - Melhor Documentário e Menção Especial do Júri (“Entre a Luz e a Sombra”) - Festival de Cinemas e Culturas da América Latina de Biarritz (2009 - França)


FESTIVAIS

  • Millenium Rap no Anhembi (2001) 60 mil pessoas.

VÍDEO CLIPES 509-E

  • “TRIAGEM”

  • “SÓ OS FORTES”

  • “OITAVO ANJO”

Voltaram no ano de 2019 com a Turnê Vivos onde realizaram 05 shows com a formação original, um presente para os fãs e reacendendo o vulcão que estava adormecido. No ano de 2021 o 509-E continua a dar voz aos encarcerados e denunciar as mazelas do sistema.

O propósito verdadeiro e um manifesto único, marcas registradas do 509-E, mantém-se de pé e, mesmo 20 anos depois, o seu LEGADO permanece VIVO fazendo história até os dias de hoje. 

 A HISTÓRIA CONTINUA SENDO ESCRITA...

testeira historia.gif